Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CINEBLOG

CINEBLOG

Crítica: It Comes at Night. A noite é escura e cheia de horrores

It Comes at Night

Ao deambular pelo quadro de Brueghel nos minutos iniciais, It Comes at Night empurra a sua mensagem para outros limites. Nesse momento, o apocalipse deixa de ser a alegoria catapultada para a fama por Romero e torna-se numa viagem especulativa até aos medos e paranoias da europa do século XIV. Não é por acaso que a infeção retratada no filme é em tudo semelhante aos relatos da Peste Negra, a doença que dizimou um quarto da população europeia da altura. É muito fácil esquecermo-nos que tudo aquilo já aconteceu e que não há ninguém que nos possa garantir que não volte a acontecer.

Esta projeção emocional é o pilar central de um filme minimalista mas rico em atmosfera, em que a maior ameaça à humanidade é a própria humanidade: imperfeita, desconfiada e paranóica. 

A mensagem é clara e transmitida de forma irrepreensível, com uma belo trabalho de fotografia a tirar partido de cada metro quadrado de escuridão. O problema é que, tal como os congéneres The Witch ou It Follows (ou até mesmo Get Out) aquilo que tem para dizer não justifica o formato longa-metragem.  

Embora nunca se torne insuportavelmente cansativo (são apenas 90 minutos!), o segundo ato é exageradamente longo e redundante e a recompensa do terceiro ato acaba por nunca se mostrar suficientemente satisfatória.

It Comes at Night é um interessante exercício sobre o medo e os terrores noturnos, executado de forma bastante hábil, mas que em última análise tem pouco mais para dizer do que um episódio da Twilight Zone

***

Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Siga-nos:

Blogue a 24fps que não necessita de óculos 3D. Online desde 2003.

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.